quinta-feira, 11 de agosto de 2011


Botafogo derrota o Atlético-MG e tem boa vantagem para a partida de volta

Com eficiência ofensiva, Botafogo constrói vitória na primeira etapa, faz
2 a 1 e agora joga pelo empate para continuar na Copa Sul-Americana

Os lances      
      
  • Botafogo vence o Galo: 2 a 1     

  O Botafogo escreveu mais um capítulo na história da grande vantagem que tem sobre o Atlético-MG. Na noite desta quarta-feira, no Ipatingão, venceu por 2 a 1, na estreia das duas equipes na Copa Sul-Americana. Com o resultado, os cariocas estabeleceram a marca de 13 vitórias sobre o adversário nos últimos 20 jogos. Herrera e Maicosuel fizeram os gols da vitória, com Richarlyson descontando. O público pagante, de 9.583 pessoas (com renda de R$ 43.270), sofreu e tentou empurrar os donos da casa para a vitória, mas não foi suficiente. A sina contra o rival continua.
O técnico Cuca, que fez sua estreia no Atlético-MG, terá muito trabalho pela frente. Na próxima partida entre as equipes, no próximo dia 23, às 20h15m, no Engenhão, o Botafogo tem a vantagem do empate, mas poderá até mesmo perder por 1 a 0 que estará classificado para as oitavas de final da competição internacional. Uma vitória do Atlético-MG por um gol de diferença, desde que faça três ou mais, dará a vaga aos mineiros. Novo 2 a 1, mas a favor do Galo, forçará a decisão na disputa de pênaltis. O próximo adversário do brasileiro classificado sairá da partida entre Deportivo Cali-COL e o vencedor de Santa Fé-COL x Universidad César Vallejo-PER.
Os times agora voltam as atenções para o Campeonato Brasileiro. Neste sábado, o Botafogo receberá o América-MG, às 21h, no Engenhão, enquanto o Atlético-MG vai a Curitiba, onde, no domingo, às 16h, encara o Coritiba, no Couto Pereira.
Vantagem do Botafogo na etapa inicial
Cuca preferiu utilizar o esquema 4-4-2, em vez do 3-5-2 usado nas últimas partidas por Dorival Júnior. Jogadores como Réver, Guilherme Santos e Toró, que não eram aproveitados, voltaram ao time titular, e o ataque mais uma vez foi formado por Magno Alves e André. Mas nada disso deu resultado.
O Botafogo, muito bem armado por Caio Júnior, foi superior durante todo o primeiro tempo. Comandado por Felipe Menezes e Lucas Zen, o time chegou com perigo várias vezes. O veloz Maicosuel e os valentes atacantes gringos Herrera e Loco Abreu davam muito trabalho ao sistema defensivo do Galo.
Os dois gols do Botafogo, no primeiro tempo, foram marcados a partir do talento do seu quinteto ofensivo. No primeiro, assinalado por Herrera, logo aos seis minutos, houve falha de Patric, que pagou caro e foi substituído ainda antes do intervalo. Cuca trocou o jogador, que era vaiado insistentemente pelos torcedores atleticanos, pelo atacante Wesley.
O segundo gol foi marcado por Maicosuel, aos 38 minutos, após jogada veloz iniciada por Marcelo Mattos. No fim da primeira etapa, o Galo diminuiu, aos 44, com Richarlyson, no último lance do primeiro tempo, e deu novo alento ao time e ao torcedor alvinegro para a etapa final.
Herrera no jogo do Botafogo contra o Atlético-MG (Foto: Bruno Cantini / Site Oficial do Atlético-MG)
 
Placar inalterado no segundo tempo
Atrás no marcador, o Atlético-MG voltou com tudo para o segundo tempo, pressionando mais e marcando forte a saída de bola do Botafogo. Neto Berola entrou no lugar de Magno Alves e atuou bem aberto pela direita, com o objetivo de abrir espaços na defesa carioca.
Wesley, Caio e Mancini - que entrou na metade do segundo tempo - apresentaram-se mais para o jogo, na tentativa de explorar a presença de área de André, que, muito bem marcado, não conseguia encontrar brechas para concluir a gol. O Botafogo, fechadinho na defesa, vivia de contra-ataques. Em alguns momentos, os cariocas se defendiam com os 11 jogadores atrás da linha da bola.
A pressão do Atlético-MG seguiu até o fim do jogo, mas foi insuficiente para conseguir o empate. Para facilitar ainda mais a vida dos botafoguenses, aos 40 minutos Toró fez falta dura no meio-campo, em cima de Fábio Ferreira, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso pelo árbitro Paulo César de Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário