quinta-feira, 23 de junho de 2011


Rafael Moura rejeita ideia de má fase do ataque tricolor no Brasileirão


Jogador, no entanto, admite que falta alguma coisa ao Fluminense e elogia esquema com três meias: ‘Ficamos com poder ofensivo de chegada na área



Rafael Moura no treino do Fluminense (Foto: Agência Photocâmera)Rafael Moura caminha durante treinamento do
Fluminense (Foto: Agência Photocâmera)
Com três gols em cinco jogos, o Fluminense é dono do segundo pior ataque do Campeonato Brasileiro, à frente apenas do Atlético-PR, que marcou uma única vez. Nas duas últimas partidas, foram duas derrotas e 180 minutos sem marcar. São números que não assustam o novo titular Rafael Moura, que rejeitou a ideia de má fase do setor:
- Não vejo o ataque em baixa. O Fluminense é um todo, e o todo precisa melhorar, sem individualizar.
O atacante, entretanto, admitiu que está faltando alguma coisa ao time, mas afirmou que a escassez de gols não está se dando por falta de treinamentos específicos:
- Não acredito muito em sorte, é mais relacionado ao trabalho. Precisamos melhorar algumas coisas. Difícil falar o que falta. Estamos testando algumas soluções, aprimorando o chute de longa distância, o último passe, para cada vez concluir melhor a gol. Aumentando a quantidade de finalizações, os gols aumentam.
Na nova formação testada pelo técnico Abel Braga, o 4-5-1, Rafael Moura atua sozinho no ataque tricolor. Perguntado se o esquema lhe agrada, o He-Man preferiu despistar, mas valorizou a força ofensiva do time com três meias:
- Tem que agradar é ao Abel, ele que tem de se sentir bem com o esquema. Teoricamente, com um atacante, ganhamos três meias. Ficamos com maior número no meio de campo, com poder ofensivo de chegada na área. Vamos treinar de novo para ver se encaixa.

  • 'Não vejo o ataque em baixa'

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário