quarta-feira, 22 de junho de 2011

Fla perde o controle e é eliminado da libertadores Sub-20 com goleada
Diante do Alianza de Lima, time carioca tem dois jogadores expulsos por choques físicos com o árbitro, sofre virada e chora após vexame

César, goleiro Sub-20 do Flamengo (Foto: Reprodução SporTV)
Não foi por falta de capacidade técnica que o Flamengo acabou eliminado da Libertadores Sub-20 pelo Alianza Lima, do Peru, em derrota por 5 a 1, na noite desta terça-feira. O fator psicológico vestiu o uniforme, calçou as chuteiras e entrou em campo para mexer com o equilíbrio da equipe carioca. Dois jogadores exageraram nas reclamações, trombaram com o árbitro e foram expulsos ao longo do duelo, o que permitiu a virada do rival local.


O começo foi animador para o Rubro-Negro. Até abrir o placar, foram duas oportunidades perdidas, com Nixon e Tomás, que acertou a trave de dentro da área. Aos 20, o gol amadureceu de vez, e Rafinha aproveitou o rebote, depois de excelente passe de Muralha para Felipe Dias, na ponta esquerda, e abriu o placar.
Apostando mais na disposição do que na técnica, o Alianza passou a criar perigo e, empurrado pela torcida, que compareceu ao estádio e fez barulho, chegou ao empate, após falha do goleiro César, que se precipitou na saída do gol e viu Soto marcar de carrinho, aos 31 minutos. Claramente, a igualdade não fez bem ao Fla, que se irritou com as jogadas ríspidas.
Pouco depois, em falta isolada no meio de campo, o volante João Vitor foi de encontro ao árbitro, que não gostou da trombada e o expulsou. Foi a senha para tudo dar errado na segunda etapa do jogo. Antes do intervalo, César ainda fez ótima defesa, segurando o 1 a 1.
Vexame no adeus
O papo do técnico Paulo Henrique pareceu acalmar a garotada, que manteve o equilíbrio por alguns minutos. Mesmo com um a menos, o Rubro-Negro mantinha a posse de bola e assustava em chutes de fora da área. Aos 14 minutos, no entanto, César foi empurrado em jogada pelo alto, a falta foi ignorada e Portugal desempatou, sem goleiro. Na sequência, em um ato de desespero, o camisa 1 correu em direção ao juiz, o acertou e puxou-lhe o uniforme. Resultado: cartão vermelho e muito choro de César na saída de campo.
A partir daí, foi um passeio dos locais. Soto, o artilheiro da Libertadores, com quatro gols, fez o terceiro; Reyna construiu boa jogada, chutou para a defesa de Caio e o zagueiro China anotou contra, sem querer. Aos 44, após contra-ataque, Olascuaga meteu o quinto de carrinho.
Na semifinal, o Alianza faz duelo peruano com o Universitário. O Brasil não tem mais representantes na competição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário